3 de agosto de 2011

The most boring and great hero



Assisti nessa semana Capitão América - O Primeiro Vingador sem conhecer quase nada da sua complexa história - a qual só sei que é complexa devido a uma carona com @matheusipv onde tive que ouvir todas ramificações de sua história no mundo Marvel. Sendo assim, me perdoe a aparente superficialidade.

Steve Rogers é o típico loser que se torna herói assim como Peter Park, Bruce Wayne, Cebolinha e tantos outros que vemos por aí. Em geral, todo super herói de sucesso parece que precisa:

- Sofrer bullyng
- Ter father issues
- Não pegar ninguém
- Ser rejeitado pela sociedade
- Usar um uniforme muito cafona
- Ser um stalker da menina mais bonita da cidade

Claro que tudo isso é só nos primeiros minutos porque depois a coisa toda anda e evolui, né?



Já reparou que esse perfil se conecta com a massa da sociedade de hoje? Pense bem e me diga se você não se encaixa ou já se encaixou em pelo menos dois dos tópicos acima. Todos nós sonhamos em um dia deixar esse submundo que vivemos pela glória de ser reconhecido pelo nosso altruísmo. O que vemos nos blockbusters é um reflexo de um anseio natural da humanidade que é saciado através da película. Afinal, todos queremos fazer algo empolgante com a nossa vida além de trabalhar todos os dias para se manter vivo.

De qualquer forma, Steve Rogers se destacou pra mim. No filme não havia sangue, cabeças rolando, grandes lutas coreografadas, nem super poderes - "apenas" o apocalipse nosso de cada dia. Pera aí gente! A arma dele é um escudo? Escudo não é ataque, é defesa! Ele não voa? Não salta de prédios? Tem que ver isso aí porque o Tio Sam escolheu justo ele para ser seu representante na luta contra Hitler, para ser (dentro várias opções) o herói que representa a América.

A diferença se baseia no fato de que ele não é um super herói - ele é eu e você que não temos nada de útil aparente para oferecer. Somos fracos e por várias vezes ficamos no banco de reserva (e olhe lá), apanhamos dos mais fortes nos becos da vida, somos comparados com os estereótipos, somos medrosos e nos sentimos incapazes até que alguém decida confiar e investir em nosso potencial. Alguém que enxergue o que ninguém mais conseguiu enxergar.

O que ele tem que muitos não tem é a determinação de lutar por uma causa que não é sua mesmo que isso signifique se jogar em cima de uma granada enquanto todos da equipe tentam se defender. O que ele tem que muitos não tem é a confiança que dentro dele reside tudo que ele precisa para ser quem nasceu pra ser.

E é por isso que muitos que nasceram para ser Capitão América continuam sendo Steve Rogers.

2 comentários. Comenta aí!:

matheusipv disse...

Realmente a diferença no América é a determinação, a coragem, e a confiança, sempre teve tudo isso, mesmo antes da experiência. Não tem uma grande habilidade que adquiriu como muitos, e mesmo assim é o líder dos Vingadores! Tá, parei, hshs! Muito bom o artigo amigo... Aprovadíssimo!

gabriel_GR13 disse...

Ah, ele ganhou habilidades especiais sim! Tanto que ele consegue nadar mais rápido que um submarino. Mas enfim, a determinação dele realmente foi o que fez a diferença nele. Responsa o post. :)