28 de fevereiro de 2008

O DIA EM QUE TROUXE DON MILLER AO SERVIÇO



Estou lendo COMO OS PINGUINS ME AJUDARAM A ENTENDER A DEUS (ou simplesmente Blue like jazz) há algumas semanas e tenho me surpreendido com Don Miller. A forma digamos assim, "pecadora", com que ele escreve cada capítulo, a sua visão simples de ver o mundo aos olhos de um simples e mero pecador em busca de redenção... É como conversar frente a frente com ele. Mas hoje, ler este livro trouxe uma pequena polêmica ao meu serviço.

Eu trabalho há 2 anos no Ministério de Comunicação da Igreja e hoje como num dia comum vim caminhando lendo mais um capítulo distraidamente. Quando cheguei na minha sala deixei o livro na minha mesa, nem me liguei, simplesmente joguei ele lá. Alguns minutos depois alguns pastores começaram a chegar, olhar o título e folhear algumas páginas encontrando termos como: cenouras sexy, sexo dos pinguins... Isso foi o suficiente para eu ouvir coisas do tipo: É você que tá lendo esse livro? Esse cara não é muito crente, é?

Essa situação me fez lembrar de outros livros "polêmicos" como CRIATIANISMO CRIATIVO que me renderam perguntas semelhantes. Será que é tão difícil hoje em dia ser criativo no meio cristão? Ler livros, revistas que vejam de um outro ângulo o Evangelho? Não é deturpar o que a Palavra diz e muito menos pregar algo além da verdade, é falar o que se passa na mente das pessoas, é ser direto, é parar de fazer rodeios e criar um canal mais direto com a nossa realidade (que muitas vezes assusta).

Tenho certeza que Don Miller não pensava muito enquanto escrevia o livro no impacto que isso traria nas vidas das pessoas, o que elas iriam pensar (se pensasse com certeza não teria publicado). Ele simplesmente estava lá, num pub, escrevendo a sua realidade, colocando no papel o muito que estava em sua cabeça.

Nem tudo é excelente, nem tudo é um manual para uma vida melhor, mas sem dúvidas é bom saber que existem outras pessoas por aí que pensam, que sentem medo, que erram como qualquer um. Isso ajuda a quebrar a imagem de que todo cristão é perfeito e sabe de tudo.

Nessas horas penso como seria legal reunir um bando de jovens cristãos num fim de semana para falar abertamente sobre o que se passa na mente de cada um. Tenho certeza de que termos como "sexo dos pinguins" e "cenoura sexy" seriam os termos mais leves que ouviríamos.

1 comentários. Comenta aí!:

Elisete disse...

Luis eu acabei de ler sua postagem e fiquei imaginando a cena, claro tô rindo aqui!
Estou apaixonanda por Don, há tanta verdade e "VERDADE" no livro que só pode entender quem está despido de religiosidade e com questãoe s culturais resolvidas na sua mente.
Nesse momento estou lendo Fé em Deus é pé na tábua, e recomendo!